17 de junio de 2013

Vida nova desde Agosto de 2012

Lá venho eu com a conversa do ah e tal, já há muito que não escrevia aqui. E é mesmo. Já lá vai quase um ano e tanta coisa mudou... Nova vida! E quando digo nova vida é isso mesmo, nova cidade, novo país, novos amigos, casa nova, trabalho novo, tudo novo, menos este corpinho que vai ficando cada vez mais velho, hehe.

Ao não encontrar trabalho na adorada cidade onde residia decidi começar a procurar em outras paragens e posso dizer que, afortunadamente, encontrei trabalho. Claro que tive de mudar de país e começar tudo de novo, mas a mudança aconteceu na altura ideal.

Posso dizer que o início na nova cidade não foi fácil. Ao encanto de ter tantas coisas novas para ver e descobrir junta-se o desencanto de não ter com quem partilhá-las. Não posso negar que os primeiros meses foram duros, com poucos conhecidos e pouco azo a convívios. A única vantagem foi que a minha linha estava impecável, peso pluma em acção.

Mas as novas tecnologias têm as suas vantagens e um belo dia, um português simpático, apresentou-me às meninas que viriam a ser as minhas companheiras inseparáveis nesta nova aventura.

Esse mesmo português levou-me a uma festa, e nessa festa conheci um menino com o qual sai algumas vezes, mais precisamente 6, no decorrer de quase dois meses. As coisas pareciam correr bem, até que numa das habituais viagens (ora viajava eu, ora viajava ele), ele deixou de escrever. Estranhei pois não era hábito. Respondia aos sms mas não tomava a iniciativa de escrever. Mesmo assim combinamos encontrar-nos quando ele regressasse. Eu fui pensativa e decidida. A pensar o que tinha significado o silêncio da última semana e decidida a obter uma resposta sobre em que patamar nos encontrávamos. Será que queríamos as mesmas coisas? Teríamos os mesmos objectivos? Tudo parecia indicar que sim mas “gato escaldado de água fria tem medo”, e assim, estava resolvida a confirmar.

A pergunta custou a chegar mas não podia deixar passar a oportunidade de pôr os pontos nos “is”. Quando finalmente perguntei se a conversa do nosso último jantar era verdade ou brincadeira, conversa essa em que o menino revelou ser muito mais aberto do que eu, ele confirmou que era sincero no que já me tinha dito. Ora eu agradeço a sinceridade mas acho que o menino precisa de uns valentes abanões para perceber que as coisas não se fazem assim. Sei que provimos de diferentes culturas mas não fui a única a viver a estória e a acreditar que os sinais positivos estavam todos lá. Talvez até um pouco cedo de mais. Talvez a desmedida atenção doa mais agora que apenas o silêncio ocupa lugar. O silêncio e a sensação de que não somos o sol que pensamos ver reflectido nos olhos da respectiva pessoa.

11 de julio de 2012

Cacos de loiça

Parece impossível. Ontem, ao arrumar a loiça antes de me ir deitar, dei com um copo na parede e qual não foi a pontaria para que um vidro me viesse acertar na perninha fazendo um pequeno golpe. Devo dizer que as minhas pernas estão uma vergonha, entre uma nódoa negra gigante originada pelo quase suicídio de uma cadeira, picadas de bicho que me causam uma potente alergia e transformam umas picadinhas em quatro valente marcas, veio o corte para ajudar.

Ah, mas não é tudo! Não contente, hoje a lavar uma caneca consegui ficar com a asa na mão. Não exerci tanta força assim, mas a verdade é que já tinha tomado o pequeno-almoço, se calhar foi isso.

O dia está a começar, que mais virá por aí?

10 de julio de 2012

Danada da bicha

Estava eu muito sossegadinha a trabalhar no meu projecto e eis que se atira contra a janela o raio de uma borboleta mutante, que ao chocar contra o vidro fez o barulho semelhante a uma pequena pedra a embater contra a superfície.

Claro está que dei um salto na cadeira, porque se há coisa que a menina não gosta são insectos.

Afastei-me e pus duas cadeiras entre mim e a criatura mutante, não fosse ela decidir contra atacar, por se sentir num ambiente hostil. Ela ainda fez uma tentativa de voar janela fora, mas a mal jeitosa bateu contra a parede e voltou a cair redonda no chão. Não contente com a aventura, bateu as asas e consegui ficar de pernas para o ar, ali, a espernear.

Pensei: -E agora???, que assim a bicha não me sai daqui pelo próprio pé, ou melhor dizendo, pelas próprias asas...

Fui à cozinha buscar uma pá e uma vassoura e ainda fiquei a olhar para ela a ver se ela se virava. Nada!

Dei-lhe um pequeno toque com o cabo da vassoura para tentar ajudá-la a virar-se mas sem sucesso. Pensei um pouco mais e decidi. Tinha de fazer qualquer coisa, não é?! Então, arriscando a própria vida, decidi metê-la na pá com a ajuda da vassoura e atirá-la janela fora. Com sorte a borboleta gigante lembrar-se-ia como se voa, tal como os peixes não esquecem como se nada.

Aqui vai, pá pela janela fora e SIM, a bicha voou até à árvore mais próxima.

Agora só espero que não tenha saudades e não se lembre de me vir visitar!

9 de julio de 2012

Novidades

Agora vamos às novidades, desde a última entrada, que por certo se referia a um estágio manhoso que decidi fazer, muita coisa se passou. Mas também quem se lembra de com 30 anos ir fazer um estágio com miúdos recém licenciados, que estão dispostos a tudo? Já não tenho idade para isso e já devia saber melhor, enfim, como sempre digo: "vivendo e aprendendo". Deixei o estágio e resolvi dedicar-me só ao mestrado! Entretanto tive outro ameaço de trabalho, uma baixa de maternidade, mas acabei por reclinar amavelmente porque, uma vez mais, não me iria trazer nada de positivo na carreira. Uns trocos e a paragem do subsídio de desemprego... mas senti que na fase em que me encontrava, a vantagem não seria suficiente para compensar as desvantagens.

Como tinha dito já não estou com o namorado e entretanto sai 2 vezes com um sueco que idealmente tem tudo para me fazer feliz. No entanto, não me apetece estar com ele. Estou numa fase... Isto também serviu para ver que às vezes o que idealizamos para nós, uma vez posto numa perspectiva real, nem sempre é o que esperamos. Há com cada coisa...

Entretanto voltei a falar com o namorado mas não nos vemos com a frequência que nos víamos antes. Ambos sentimos a falta um do outro e mais agora, que há uma grande possibilidade que eu mude novamente de poiso. Mas não devemos esquecer o passado, não digo andar a remexer nele, digo não esquecer para não cometer os mesmos erros. Sim, porque se bem me lembro foi no dia em que decidi mudar de poiso a primeira vez, que tive uma "recaída" com o namorado. Desta não vai acontecer!

De resto quando acabar o mestrado tenciono fazer umas deliciosas férias com a minha mamy querida.

Ai que malandra

Malandra porque já não escrevo há séculos. Andei ocupada com o mestrado que está quase a acabar, e já lá vão 6 meses. E o que começou por ser uma proposta foi ganhando cara e olhos, como se diz por aqui, e agora pode ser que veja a luz do dia. De que falo? Do meu projecto, claro! Pois sim, uma ideia inovadora, um produto que não existe, um híbrido por assim dizer. É um e-book personalizado online que permite gravação áudio. É tão inovador que me aconselharam a pedir apoio jurídico para proteger a ideia. Ora, uma das coisas que me ensinaram, no master, foi publicar as nossas ideias num sitio bem escondidinho para que ninguém as veja e ai eu pensei, que melhor que o meu diário?!? Por isso aqui fica, já sabem que a ideia dos e-books personalizados online com gravação áudio e possível compra em suporte papel com o mesmo áudio (gravado online), é MINHA!!!

24 de marzo de 2012

To leave or not to leave


Já dizia um grande amigo meu, que quando não conseguimos ver futuro em algum projecto em que estamos, seja uma relação, seja trabalho, ou neste caso, seja um estágio, está na altura de terminar. Terminar com o sofrimento?! Talvez não seja para tanto, mas terminar com a ilusão de que amanhã vamos acordar e será um dia melhor, em que esqueceremos o que dissemos hoje e acordaremos totalmente remodelados e aptos à árdua tarefa que temos como missão. 
Acho que lhe vou fazer caso e vou terminar com o meu sofrimento, porque afinal, está nas minhas mãos e como ser livre a autónomo que tenho a fortuna de ser, vou fazer como sempre fiz, actuar como me parece melhor para construir o futuro que anseio.

21 de febrero de 2012

OMG


OMG como oh meu Deus, este ano ainda não publiquei nada no meu diário...
Tenho andado pouco activa aqui mas posso dizer que este ano me trouxe muitas novidades. Se uma das minhas resoluções do ano passado, aliás, escrita aqui, era ficar efectiva, realmente no ano passado fiquei. Mas como uma semana depois me despediram, decidi que a resolução para este ano era não ser despedida. Parece utópico mas não é! Há que ter objectivos que nos desafiem, hehe.
Pois, muita coisa aconteceu desde o último post. Fui despedida, mudei de cidade e de casa, comecei um mestrado e eu e o namorado já não estamos juntos outra vez.
Este 2012 promete novos desafios a nível pessoal e profissional e uma vez mais a minha vida é uma folha em branco, pronta para escrever. Menos mal que também tenho algo a dizer nessas linhas que aparecerão de futuro ;)

3 de noviembre de 2011

Mal entendidos


Querido diário, no outro dia fui-me deitar tristinha porque tinha mandado mensagem ao namorado e ele não tinha respondido, coisa que não gosto nada. E quando me despedi por mensagem antes de ir dormir, de forma amorosa, ele apenas respondeu: “Tu tb, bjs.” Fiquei triste, pois que fiquei. Não disse nada mas fiquei a pensar e momentos depois chega-me uma mensagem muito querida que dizia “Miss u”. Posso dizer que já dormi mais tranquila :D

11 de octubre de 2011

Ops, quase que caía outra vez


Hoje apetece-me escrever porque lembrei-me de um detalhe importante. Já aqui tinha dito que às vezes escrevia cartinhas ao meu amado. No outro dia escrevi outra vez e na carta referia a conversa que tive com um amigo. Este amigo perguntou se eu ia viver com o meu amado e eu escrevi a contar este episódio na carta, em tom de brincadeira, e dizia que tinha respondido que não, que ia era viver com este meu amigo e a sua namorada porque eles têm um quartinho livre. Depois pensei, e ainda bem, se estas coisas deixam o namorado nervoso porquê referi-las antes do tempo? Se e quando chegar o momento logo vemos e não desencadeio já temas em teoria “conflituosos” para o seu espírito. Uff, ainda bem que pensei a tempo!
Na realidade também não quero muito ir viver com ele porque acho que seria apressar uma coisa que só aconteceria muito mais tarde se eu tivesse a minha casinha e ele a dele. Além disso gosto muito de viver “sozinha” com o meu gatito. Mas como dizia antes, cada coisa a seu tempo, e não adianta pensar nem apressar o tempo porque ele corre ao seu ritmo. Há que aprender com o passado...

29 de septiembre de 2011

O primeiro mês


Há uns dias fez um mês em que reatei com o meu ex. Pelo que fui escrevendo aqui acho que deu para perceber que andávamos num vai não vai, em que nenhum queria dar o braço a torcer e tomar a iniciativa. Ele chegou a dizer-me que pensou que eu estava a falar a sério quando lhe disse, na brincadeira, que o ia pedir em namoro... ao que eu respondi que ele é que teria de me pedir em namoro, com flores e bombons incluídos.
Bem, posto isto e como já tinha dito, não ia tomar iniciativa mas no Verão, vendo este impasse, decidi que ia falar com ele duma vez por todas. Combinámos café e uma vez mais falámos apenas de banalidades. Decidi então que ia deixar de falar com ele, visto que ele continuava no seu mundo de indecisão. Por telefone, continuava indeciso, à espera que se reunissem as condições ideais para tentarmos outra vez. Disse-lhe que o mundo das maravilhas não existia e que ia deixar de falar com ele porque já não aguentava mais. Nisto ele envia-me um sms a dizer que não era isso que queria.
Resultado, estamos juntos outra vez e eu estou feliz. Parece que ele finalmente decidiu abrir as portas à felicidade e está mais seguro do que sente. Claro que tenho receio que ao fim de 4 meses lhe dê a pancadinha outra vez e decida que não é isso que quer. Mas como poderia eu dizer que não? Impossível... :)

29 de agosto de 2011

3 meses depois


E já lá vão 3 meses desde a última entrada... Passa tanta coisa em 3 meses!
Pois parece que finalmente me vai revelar o que escreveu no caderninho. Tenho alguma curiosidade mas também algum receio. Já vi que da parte dele ouve uma cedência ao dizer que me pode mostrar o que escreveu, pelo que não vou insistir mais. Quando estivermos juntos, se ele se lembrar e quiser mostrar tudo bem. Senão, nem vou referir o tema...

26 de mayo de 2011

Cartas ao big brother


Sinto que meti a pata na poça outra vez... Mandei umas cartinhas ao ex que escrevi para justificar porque me irritei com ele. Agora pergunto-me porque fiz isso. Uma vez mais abri a porta do confessionário e ele é como o big brother, ouve tudo o que eu digo mas não responde. Será que preciso de um psicólogo e por isso lhe enviei as cartinhas? Naa, porque os psicólogos falam e dão conselhos, mesmo que não te digam o que fazer.
Ele hoje disse-me que escreveu no caderninho que eu lhe dei, o que significa que as cartas surtiram alguma reacção. Mas que será que escreveu ele? Uma cartinha para mim não foi, pelo que deu a entender e assim eu fico na mesma...
Tenho de voltar a escrever é aqui e não enviar mais cartinhas, mas é que gosto muito de escrever em papel também :)

19 de mayo de 2011

Correios


Agora deu-me para escrever cartas diariamente ao ex. Hoje é o primeiro dia em que não me apetece escrever-lhe. Estava a pensar que uma vez lhe disse que se nos tivéssemos que separar e ainda namorássemos que acabava com ele e acabo de me lembrar por que motivo disse isso. Era porque ele no msn e ao telefone era muito seco e não era nada carinhoso. Nos últimos dias que temos falado ele realmente tem-se tornado cada vez mais sequinho.

Não estou à espera, mas tenho alguma curiosidade em ver se ele responde às minhas cartas com alguma cartinha dele...

9 de mayo de 2011

Bom dia mister mess


Ontem falei contigo e não sei se baralhei ou desbaralhei. Disseste outra vez a famosa frase que eu tanto detesto: “gosto de ti e de estar contigo” e quando eu respondi que da outra vez não foi suficiente saíste-te com uma que sabias que tinhas sido tu a terminar mas que o tinhas feito para dar-me espaço e não sei mais quê. Confesso que só fiquei com esta do espaço e realmente não percebi... Eu não precisava de espaço! Se havia alguém que o precisava eras tu. Isto haverá que falar pessoalmente.... Ah, e há que esclarecer os 3 pontinhos pelos quais aceitei que terminasses comigo. Depois conto-te quais foram.

5 de mayo de 2011

Cartas de amor, quem não as tem, cartas de amor, lá lá lá lá


Pois é, já há muito tempo que não escrevo e a verdade é que a minha vida a nível profissional deu uma volta de 180º. Fiquei no desemprego e entretanto arranjei trabalho mas noutra cidade. Isto a nível sentimental devia simplificar muito as coisas com o ex, mas não foi bem assim. Continuamos a gostar um do outro, suponho que a reciprocidade continua a mesma, isto é, eu mais dele que ele de mim, mas enfim...
Nas despedidas e numa fase tão complicada da minha vida, o único que queria era estar sozinha e voltei a passar muito tempo com ele, talvez demasiado... Resultado, continuo sem esquecê-lo porque se calhar a verdade é que não o quero fazer. Será que gosto de gostar dele? É capaz! Antes não o admitia mas agora que sei que continuo a gostar dele, não faço tanto por esconder.
Acho que nesta fase de incertezas precisava de uma certeza e é certo que gosto dele e de estar com ele. Por isso, de certa forma esta “nova” revelação fez-me bem e se me ajudar a deixar de pensar no incerto, tanto melhor!
Assim que sim, esta é uma mini carta de amor para dizer que gosto de ti! Mas para dizer também que não planeio fazer nada para alterar a situação em que nos encontramos agora. Quando me vieres visitar logo se vê se falamos. Sim porque falar, falamos muito, mas sobre nós e cara-a-cara acho que é a coisa menos frequente que fizemos desde que nos conhecemos. E já lá vão 6 anos.
Resumo dos resumos, somos dois totós.
A ver se pelo menos um de nós deixa de o ser. Eu espero um dia conseguir, mas tu com esse teu jeitinho deixas-me sem jeito.
Beijos e gosto muito de ti :p

31 de marzo de 2011

Como passar de um homem que sabe que tu és a tal para um que nem sabe que isso existe?


Dos poucos anos que tenho de experiência em relacionamentos, posso dizer que passei do 88 ao 8. Isto é, estava com um homem que me dizia que eu era a mulher da sua vida e que o tinha como dado adquirido e depois passei para um inseguro, que embora parecesse que gostava de mim, não o conseguia exprimir por palavras e tinha medo do compromisso. Ora, para uma pessoa que viveu estas duas realidades, agora sei que elas existem, mas antes tudo isto passava-me ao lado. Será normal as pessoas fugirem das relações porque têm medo de se magoarem? Espero que esta tenha sido a excepção e não a regra, pois como pessoa com muito pouca paciência que sou, não sei se estou para aturar estas dúvidas e incertezas, que me soam a criancice e falta de maturidade.
Claro que também não tenho a certeza de nada, mas não deixo que isso me tolde a visão e me impeça de buscar a minha felicidade.

21 de marzo de 2011

Ler de tempos a tempos a ver se passa a fase da parva


Não vais começar pois não? Sentes-te assim tão sozinha? Pára de ter pena de ti mesma! Se sabes que ele não te merece…
Sempre foste feliz por ti e vais continuar a ser!
Pára de tentar inventar sinais onde eles não existem, que coisa mais doentia. Se a vossa relação sempre foi assim! Ele continua a agir da mesmíssima forma. Tu é que estás diferente, sua tonta.
Ou já te esqueceste o que magoou quando sentiste que ele não queria estar contigo, quando se fechou e não te deixou entrar. Quando se foi afastando cada vez mais sem motivo nem justificação, sem querer sequer falar. O “gosto de ti e de estar contigo” é o que se diz aos bichos, não às pessoas que amamos.
A justificação é esta: ele não gosta de ti a não ser como amiga e não merece que tu gostes dele doutra forma, pois estás a desperdiçar um sentimento numa pessoa que ainda não sabe o que é o amor!
Ele foi sincero e avisou-te que a amizade que sentia não evoluiu para amor, mas como tu és uma tolinha associas isso a outras coisas que não têm nada a ver para o caso. Quando uma pessoa gosta, gosta mesmo e não magoa, não engana e não quer outra coisa senão estar contigo a todo o momento e a toda a hora. Mesmo que se queira iludir e enganar o coração ele ganha e se não ganhou até agora é porque em vez dele palpitar, latia como um cão sem dono.

15 de marzo de 2011

Tenho saudades


Tenho saudades de ser o centro do mundo, de ser o sol de uns olhos, de ser a noite e o dia.
Tenho saudades do aperto no peito se não estamos juntos e das frases melosas.
Tenho saudades do convite tímido com receio de uma recusa que não vais aguentar.
Tenho saudades dos bilhetinhos amorosos.

Tenho saudades de que se apaixonem... por mim!

9 de marzo de 2011

Poderá a nossa situação actual influenciar o modo como vivemos uma relação?


Sinto-me como a Carrie Bradshaw, do Sexo e a cidade, quando ela começava a escrever no seu bonito portátil começando os seus textos com uma pergunta.
Com situação actual refiro-me aos problemas que temos no nosso dia-a-dia e na nossa vida de um modo geral.
Conheço uma pessoa que justifica o seu modo de ser e os problemas que tem em relacionar-se com o sexo oposto com os problemas pessoais que tem. Agora, pelo que me foi dado a entender esses problemas são familiares e não lhe tocam directamente a ele. Claro que as experiências que os nossos pais vivem nos influenciam. Por exemplo, filhos de pais divorciados provavelmente têm mais dificuldade em acreditar no amor que aqueles que os pais toda a vida estiveram juntos e felizes. Ou talvez não! Somos influenciados mas também não nos moldamos totalmente à semelhança dos nossos progenitores, porque senão não existiria a chamada evolução das espécies.
A minha teoria é que ele utiliza esse argumento como escape para uma personalidade fechada e com dificuldade em partilhar. Ninguém tem uma vida perfeita e se só os que não tivessem problemas tivessem relações assim tínhamos o panorama bem limitado. Agora como superar este impasse? Sinceramente não sei, gostava de ajudar mas não sei se consigo. Quando se chega a uma fase em que se pára de sentir porque temos problemas a coisa é complicada, muito complicada!

1 de marzo de 2011

Ah cozinheira


Estou com conjuntivite. Já nem sei há quantos anos não apanhava uma destas. O que vale é que tenho cá a mãezinha de visita que foi a minha autêntica salvadora. Sim porque a tótozinha aqui tinha o olho a incomodar desde manhã, após um dia de descanso das lentes de contacto e como não tinha trazido nem estojo das lentes nem óculos fui aguentando, até que não pude mais e pedi à mãe para vir ter comigo e me trazer os óculos. Resultado, uma bela conjuntivite e uma semana inteirinha a usar óculos que é para aprender... O que vale é que eles são discretos mas mesmo assim não gosto :(
Mas bem, ainda assim, depois de ter estado nas urgências do centro de saúde da zona, na companhia da mamy querida, fomos ao super comprar o resto dos ingredientes para o risotto de cogumelos. E ficou bem bom. Fiquei tão orgulhosa :)

24 de febrero de 2011

Jantar Veggie


Ontem pela segunda vez convidei os amigos a virem jantar vegetariano feito por mim. Decidi que ia fazer hambúrgueres e de sobremesa tiramisu. Estava um pouco receosa pois aprendi a fazer almôndegas vegetarianas no curso de culinária que fiz e agora ia fazer uma adaptação da receita. O tiramisu também era uma receita dessas aulas, mas de uma aula a que eu não assisti.

O que vale é que os meus amigos são prestáveis e vieram para a cozinha ajudar-me. Às tantas já éramos 5 pessoas numa cozinha mínima, ahahah. Mas o que interessa é que nos divertimos e o resultado foi muito bom. Há que repetir seguramente, mas para a próxima ponho cenourinha ralada nos hambúrgueres, mnham, mnham.

8 de febrero de 2011

Opiniões divergentes


Ando outra vez a pensar demasiado no tótó e as raparigas dizem-me para esquecer e o rapaz diz-me para falar com ele. Uma das amigas até se ofereceu para me bater...
Resposta que dei ao rapaz:
"Não quero pedinchar amor, ou gostam de mim e sabem que sim e lutam, até porque eu acho que valho a pena, ou então paciência. O que não vou fazer nunca é pedinchar migalhas porque mereço mais e não me contento com pouco. Pode parecer teimosia e orgulho mas não é! É a minha maneira de pensar."

Parece muito bonito escrito no papel e até tem razão, então porque é que esta cabecinha estúpida não o esquece de uma vez??? Humm...

Julgar ou não julgar


Tenho um amigo que é um pouco mulherengo. Ninguém diria, visto que ele é feio, com pouco cabelo e gordo. A favor tem o ser uma pessoa alegre e muito divertida. Sempre o considerei como uma pessoa séria e ultimamente vejo que não é bem assim e confesso que fiquei decepcionada.
Agora vamos lá a ver porque será. Será porque ele andou a arrastar a asinha para o meu lado e depois eu me apercebi que afinal ele arrasta a asinha para todas?! É bem capaz! Afinal sou gaja e nós gostamos de sentir-nos únicas e especiais.
De outra forma não tenho explicação para o facto de ter ficado tão chocada e mesmo um pouco chateada quando o vi curtir com uma amiga do grupo. Bem, ele ir dentro de uma semana ter com a outra com que também curtiu e traiu a namorada também não ajudou, mas acho que o motivo principal foi mesmo o orgulho ferido. Isto porque eu não gosto de julgar as pessoas, pelo menos tento não o fazer.
Tenho uma amiga que fez muitas coisas com as quais eu não concordo e em nada me identifico, mas tento não julgar e continuo amiga dela porque cada um é como é e se estão bem com as suas consciências óptimo, porque eu estou de bem com a minha.

20 de enero de 2011

Pelitos


Pois não é o melhor tema para falar não, mas é que acabo de descobrir para que servem os pêlos púbicos. Pois é, ao fim de tantos anos finalmente tive a certeza e posso afirmar, infelizmente, que essa certeza é feita de experiências nada agradáveis.
Os pêlos púbicos servem para nós não nos mijarmos pelas pernas!
Pois não sei a ciência exacta, pois que não sei, mas sei que sempre que os aparo mijo-me pelas pernas. Parece que a uretra tem a pontaria feita a contar com eles e quando eles desaparecem a maluca da bexiga já não sabe para onde apontar e vai de apontar para as pernas, a marota.
Digo já que é muito desagradável e quem já tenha passado pela mesma experiência que faça o favor de descrevê-lo aqui.

19 de enero de 2011

Cantor especial


Hoje vinha no metro e vinha um rapaz com trissomia 21 a cantar a alto e bom som todo contente. Eu sorri pois alegrou-me. É assim mesmo, se apetece cantar cantemos todos, onde quer que seja.

18 de enero de 2011

Verdade ou consequência


Hoje liguei para ti e como não me atendeste fui gastar dinheiro :P

17 de enero de 2011

Um pouco de coerência sff


Isto de tentar adivinhar o que vai na cabeça dos gajos definitivamente não é comigo. Tinha namorado, ele acabou comigo, continuamos amigos e agora voltam as mariquices que me faziam confusão e que me deixavam a pensar, ai, mas isto é normal de fazer com um amigo?!
Tentei manter o afastamento mas a verdade é que não consegui e ele também não ajudou. Disse que fazia o que eu lhe pedisse mas embora eu saiba que o afastamento é o melhor não é o que eu quero.
Comecei por pedir para ele não me falar mas depois comecei eu a meter-me com ele. A verdade é que normalmente sou eu que me meto com ele, com excepção para o início das conversas no MSN que são equilibradas, ora ele, ora eu.
Esta semana, como previsto não o vi, ainda tive um ameaço na segunda-feira porque ele tinha cá uns amigos e convidou-me para ir jantar com eles (normal?!). Eu queria ir mas para não dar o braço a torcer disse que logo via e depois quando lhe telefonei ele já tinha jantado. Acho que até foi melhor assim, porque afinal, que ia eu fazer a jantar com os amigos dele?!
Já lhe disse uma vez e escrevo aqui também. Eu sei que somos amigos mas o que ele não pode nem deve esquecer é que também somos ex namorados e como tal, há coisas que já não são muito indicadas.
Um exemplo do que disse anteriormente. Sábado fomos a um aniversário com saída à mistura. Ele foi o primeiro a sair e mal eu me meti no táxi em direcção a casa, pouco tempo depois dele, mandei-lhe uma mensagem a dizer que ele tinha ido muito cedo, etc, a perguntar se estava tudo bem. A troca de sms até foi normalita e acabei eu a despedir-me e a dizer que falávamos amanhã. Nisto eis que uns minutos depois toca-me o telefone de casa. Eram 5 da manhã!!! Ficamos a falar até às 6h (normal?!).
Ontem conversita no MSN... eu outra vez a fazer disparate disse-lhe que, por coincidência, ao alterar a minha imagem do desktop, me saiu o protector de ecrã com as nossas fotos de Sevilha e fiz um lol. Ele responde que ainda não apagou a minha foto do telemóvel e que quando eu lhe ligo ainda apareço, que a tem de apagar (normal?!?). Depois de ouvir isto disse-lhe que não achava isto muito saudável e que também não achava muito saudável conversarmos tanto. A resposta dele foi que podia deixar de atender os meus telefonemas...
O problema não é só esse ora bolas, é todo o conjunto. Há vários factores que eu não considero muito normais e que passo a enumerar:
- Ele telefonar-me depois da meia-noite de dia 1 de Janeiro a desejar bom ano (primeira vez na vida)
- Ele oferecer-me de prenda de Natal uma moldura digital quando eu lhe comprei uma vela (à semelhança da troca de prendas que tínhamos feito no ano anterior)
- Ele convidar-me para os programas com os amigos dele que vêm de visita aqui e ainda me dizer que não quer “segurar vela”
- Ele telefonar-me nesse fim-de-semana das visitas a pedir sugestões de restaurantes e horários de monumentos
- Ele ligar-me às 5h da manhã

Há aqui coisas que não têm mal mas que não são adequadas para uma ex. Por isso decidi que esta semana não lhe vou falar. Ele tem de ser mais coerente e ou se decide a vir atrás de mim e a reconquistar o meu coração ou vou ter de lhe dar um chega para lá para que se aperceba que há certas coisas que já não são apropriadas.
A minha mana diz que ele quer tudo, o interesseiro, quer continuar a ter a relação que tínhamos mas sem o compromisso de ter se assumir um namoro... pois não pode ser, não se pode ter tudo na vida e ele com a idade que tem já o devia saber.

14 de enero de 2011

Coincidências do facebook


As vicissitudes da Internet são mesmo assim. Ao usar uma aplicação tonta do facebook, que é um questionário sobre os teus amigos onde deves responder aos disparates que o programa te pergunta e a tua resposta será publicada no mural do teu amigo, eis que me aparece:
- Estás numa ilha deserta gigante. Preferias ter de limpar a areia da ilha com a língua ou viver com o teu ex para sempre?
- Achas que o moço que te quer levar a jantar te gostaria de dar um beijo?

Para quem não conhece este questionário do facebook, nele aparecem os nomes reais que eu aqui substituí pelo que descreve os dois rapazes actualmente.

13 de enero de 2011

Picar o ponto


Tenho andado a “picar o ponto” com um amigo, isto é, falo com ele quase todos os dias, senão todos. Ele é meu ex-colega de trabalho e no Verão andámos muito amiguinhos, mas entretanto comecei a namorar com outro e ele também teve as suas aventuras amorosas. Eu agora estou novamente solteira e a suposta “namorada” dele voltou para Portugal.
Este meu amigo apoiou-me bastante durante a separação e mesmo antes dela, porque eu tive uma fase em que andava em baixo e triste e não sou de disfarçar, como tal ele tentava animar-me e chegou mesmo a incluir-me nos programas que já tinha com a namorada e o grupo.
Ontem estávamos nós ao telefone e ele ficou a dever-me dinheiro de um jantar, porque em vez de pedir ao meu ex, que vê todos os dias, pediu-me a mim para adiantar por ele. E eis que ele me diz, devo-te dinheiro e devo-te um jantar. Nisto referia-se a uma aposta que fizemos durante o Verão e que eu ganhei. O prémio era um jantar mas como a paga era depois das férias e eu quando voltei das mesmas já namorava, arranjei a desculpa que já não era preciso, que ele também tinha alguma razão e como tal esquivei-me ao jantar.
Ontem ele disse que podíamos retomar o jantar porque ele tinha ficado de me levar a um vegetariano e se antes eu tinha “quem cuidasse de mim”, agora já não e por isso ele queria levar-me a jantar. Eu acedi, até porque, que mal pode ter um jantar?

10 de enero de 2011

O que dizer e o que não dizer


Já reparei que no fim-de-semana, como é natural, me sinto mais sozinha e me lembro mais do outro tonto. A minha companheira de luta aqui pelo estrangeiro estava fora e eu já estava com ideias de combinar um cafezinho para lhe dizer tudo o que penso dele, assim naquela de ressentida. Ela desaconselhou-me e ainda bem que falei com ela.
Estive com ele sexta-feira e durante o fim-de-semana foi-me telefonando sempre que precisava de mim. Eu lá lhe mandei a boquinha que ele era um interesseiro mas ficou por aqui. Não lhe quero dar mais importância do que aquela que ele tem, por isso vou tentar manter-me na minha.

A moldura


Se é coisa que os gajos não são é normais. E aqui fica mais um testemunho disso. Esta menina foi fazer a estúpida pergunta ao ex se este ano fazíamos troca de prendas. Nisto referia-me ao mesmo que tínhamos feito no ano passado, como amigos. À pala disto ganhei uma moldura digital e tive de ir a correr para o Corte Inglés acrescentar à vela e ao presépio mixuruca um cd da Diana Krall. É com cada uma...

7 de enero de 2011

SMS


Querido diário, passo aqui a descrever o que disse ao amiguito e que é a única coisa pela qual imagino que ele me tenha dito o que disse na sms. Ressalvo, como bem diz o texto, que isto era para aplicar de futuro, não para tornar ao passado:

Tu começa é a escrever o teu diário e quando arranjares outra moça vais lá ler para não cometeres os mesmos erros. Até te dou uma ajuda:
1- Ser mais comunicativo e dizer sempre o que sinto
2- Não pensar tanto nas coisas, a vida é simples
3- Permitir-me sentir, se sofrer depois logo passará porque não há mal que o tempo não cure
4- Entregar-me de alma e coração porque esta moça merece e não quero repetir os erros do passado
5- Ser feliz

6 de enero de 2011

Um simples jantar


Acho que vou começar a chamar a isto diário de uma totó… Ontem tive jantar com o pouco pessoal que já voltou depois das férias do Natal e isso incluiu o ex-namorado, o tal de quem eu falo aqui no blogue.
O jantar correu bastante bem e não me senti nunca incomodada, falámos normalmente e fomos civilizados. Ele estava adoentado e disse que devia ir para casa depois do jantar. Eu estava um pouco cansada e com sono mas disse aos três outros companheiros que alinhava se eles fossem tomar uma bebida.
Acabámos por ir a uma Disco onde já estive mais que uma vez e que tem algum significado para mim. O moço também alinhou e lá fomos beber um copo. Pagou ele com cartão a sua e a minha porque não tinha dinheiro, acho que nem agradeci…
Ajudou o facto dele estar doente porque não tivemos que nos cumprimentar, mas antes das despedidas ele lembrou-me para eu lhe devolver a sua chave, pois terá visitas por cá no fim-de-semana. Eu entreguei-lhas com um porta-chaves meu porque ele quando me deu as suas chaves, vinha literalmente só as chaves. Eu disse que ele depois me devolvia o porta-chaves quando eu lhe oferecesse outro e lá fui eu para casa de metro, na companhia de um outro amigo. Quando nos separámos no metro olho para o telemóvel e tinha uma mensagem que dizia: “bem que podias ter tirado o chaveiro, preguiçosa”. Ora que queria ele? Meter-se comigo, claro. Respondi e terminei a dizer que tínhamos ido à discoteca x e ele nem me tinha oferecido boleia a casa.
Passo a explicar esta conversa, esta discoteca foi onde tudo começou. Saímos três pessoas à noite, eu, ele e uma amiga e ele trouxe-me a casa. Vínhamos no caminho a meter-nos um com o outro e no fim ele perguntou se eu queria que ele subisse. Fiquei tão atónita que disse que não, mas noutra vez acedi e foi assim que se deu.
Depois da troca de sms percebi que não me devia ter metido com ele porque ele não tem sangue de barata e vai dando resposta. Ele disse que não tinha oferecido porque eu ia recusar e para não dar asneira e que podia não resistir. Ao que eu respondi que não o via a ter esse tipo de comportamento e ele acabou a dizer que estava a fazer terapia e ainda me surpreendia.
Ora bolas, tudo bem que fui eu que comecei a provocá-lo e disse no outro dia que queria que tudo voltasse a ser como era antes, mas porra, não me referia aos amigos coloridos. Acho que é do conhecimento geral que ex não podem ser amigos coloridos. Então a que se referia com esta conversa? Não sei bem mas tenho medo de ter de cantar o “Mamma Mia”…

4 de enero de 2011

O dia em que te esqueci


Foi no dia 3 de Janeiro, exactamente 20 dias depois dos quatro meses de namoro. Como descobri que te tinha esquecido? Voltámos a falar do passado e porque motivos teria falhado a relação. E eu não me senti mal nem nostálgica, nem com vontade de resolver as coisas. Senti que o que passou, passou e já não há nada a fazer. E mesmo quando me disseste que não te conseguias entregar porque começaste a pensar demais e tinhas receio de uma relação incerta e à distância eu pensei, bolas, ele podia ter-me dito isso antes, na altura, mas agora já é tarde.
Fechei o meu coração para ti e não tenciono voltar a abri-lo. Como te disse ontem espero que tenhas consciência que tu é que ficaste a perder e creio que de certa forma a tens.
Mas que fazer quando uma pessoa retrai os sentimentos e não deixa o outro entrar nem aproximar-se? Lutar como uma louca para ter de volta a chama da paixão entretanto apagada? Talvez... mas as palavras que foste usando comigo foram demasiado fortes e ressoavam no meu coração como que a bater de um lado para o outro, no jogo da bola e da parede, onde a bola nunca pára.
Não estou ressentida e claro, embora tenha ficado com pena da nossa separação, sinto que cresci emocionalmente e agora compreendo melhor certas coisas que ia ouvindo, como quando te apaixonas deixas de pensar com racionalidade e sabes que gostas daquela pessoa, não precisas de motivos nem de porquês, simplesmente sabes e deixas-te levar. Queres passar todos os momentos com ela e só isso deixa-te feliz e contente. Por isso estava sempre a sorrir feito parvinha quando olhava para ti. Não era por nenhum motivo em especial, apenas porque existias e me fazias feliz.
Nos últimos tempos, quando começaste a pensar demais senti o afastamento e foi a partir de ai que deixei de sorrir. Sentia um aperto no coração e um vazio como quando te falta a tua outra metade. Estava a redesenhar-me com base nos novos sentimentos, que me faziam respirar, e quando eles começaram a tremer a respiração começou a falhar. Foi por isso, pelo sentimento de perda que já começava a sentir que não insisti contigo quando numa conversa de café me disseste que éramos melhor enquanto amigos, porque não vias futuro na nossa relação. Fiquei sem ar e sem saliva e sem palavras para continuar a lutar.
Hoje voltei a sentir-me bem, livre e solta e feliz por conseguir estar só. Quero voltar à amizade que congelamos e continuar como se nada tivesse acontecido, mas com a certeza que agora me conheço ainda melhor e que consigo amar...

3 de enero de 2011

Ano Novo… Vida Nova


Pois é, passado mais um ano e revendo as resoluções que fiz no ano passado vejo que fiquei um pouco aquém do que queria. Como tal, este ano decidi não criar expectativas. A única coisa que vou tentar é que nada nem ninguém me deite abaixo e me tire o sorriso do rosto, pelo qual já sou conhecida.
A vida reserva-nos muitas surpresas, muitas voltas e reviravoltas e ontem ao ler um livro, deparei-me com uma frase engraçada: Que o destino nos prega partidas e nos faz aprender coisas que já sabemos. Como seres humanos que somos, imperfeitos por natureza, por vezes tentamos enganar-nos mas o destino ou o nosso fado faz com que as coisas voltem à sua ordem natural.
No meu caso estou de novo sozinha e quando digo sozinha é sem namorado. Com isto não quero dizer que acredito que a ordem natural seja esta condição, mas neste caso, talvez tivesse sido pelo melhor, para que eu continue a voar até encontrar o meu caminho e até o meu ninho.
O ano novo não se apregoa fácil, será mais um ano de grandes decisões e mudanças, mas eu estou preparada para elas e espero aceitá-las e recebê-las de braços abertos.
Por isso, para todos vos desejo um Bom Ano e Sejam Felizes!!!

9 de diciembre de 2010

Mas...


No outro dia disse que ia contar o que se tinha passado. Afinal o moço queria fazer o PDS por uma conversa minha em que eu disse que tínhamos de conversar. Quando o disse, na altura referia-me à falta de expressividade oral da parte dele. É amoroso e carinhoso, mas na hora de dizer um “gosto de ti” parece que o gato lhe come a língua…
Deixei passar um tempo e pensei, bem, se ele é assim não há que insistir… E de facto no dia em que conversámos não puxei esse assunto. Perguntei-lhe pelo “mas” que parecia que faltava quando ele disse “Gosto de ti e gosto de estar contigo” e ele respondeu que o “mas” se calhar era por não estamos na mesma onda. Na verdade fiquei com a ideia a repuxar-me o pensamento, com a sensação que o que ele queria dizer era: “Se calhar tu gostas mais de mim do que eu de ti!”, mas não disse nada. No final acabámos o PDS comigo a dizer, se gostas de mim e eu gosto de ti não nos compliquemos a vida…

Mas mudei de ideias, quero complicar, porque não serei eu se não o fizer.
Incomoda-me o facto de ele ter dito no PDS que se calhar não estamos na mesma onda. Incomoda-me que ele não queira estar comigo a toda a hora e incomoda-me que ele não consiga dizer gosto de ti.

Decidi que não vou facilitar a vida ao menino só porque sim. Eu preciso destas coisas e ele terá de se amanhar para me fazer feliz, porque eu não mereço nada menos que isso e é por isso que tenciono lutar.

25 de noviembre de 2010

PDS


PDS, termo largamente usado pelo meu antigo director que significa Ponto da Situação. Tão usado que até tinha um colega que dizia, lá vem mais um PDS do FDP (este acho que não precisa de tradução).
Então a conversa desenrolou-se assim. Como o namorado anda estranho estava a pressioná-lo para que me explicara o porquê, porque se não me diz, eu não adivinho e penso que é comigo. Ora ele diz que não é comigo, que são coisas dele e depois sai-se com esta conversa.

Ele: Eu acho que devemos fazer um PDS como te disse, saber o que cada um quer, se tamos em sintonia ou ñ etc....
Eu: Vale
Pds...
Pergunta: Mudou o q sentias por mim?
Ele: Lololol, achas que é o melhor sítio pra falar sobre isso?
Eu: Não.
Ele: Gosto de ti e gosto de tar ctg.

Ora ainda bem que respondeu à minha pergunta, não?!?!
A ver quando fazemos o PDS o que me diz, porque embora me diga que os problemas que tem não estão relacionados comigo esta conversa não augura bom presságio. Parece que lhe falta um mas…

22 de noviembre de 2010

Ai os sentimentos


Já há muito que não escrevo aqui e a verdade é que já sentia falta. Agora tenho namorado, é um amigo de longa data que agora se tornou algo mais. Damo-nos bem, como já nos dávamos, ele é gentil e atencioso, carinhoso e meigo. Mas falta qualquer coisa. No que toca a falar de sentimentos há ali uma barreira um tanto ao quanto intransponível. É feitio e não defeito mas não deixa de ser estranho e por vezes incómodo.
Eu costumo enviar-lhe várias mensagens para o telemóvel e ele não costuma responder. Tudo bem, já me começo a habituar. O que não gosto é que ele pareça distante quando está comigo. E como ele não é de falar muito, não percebo se é por algo que eu fiz ou se é porque ele está com problemas.
Tenho receio que o que ele sente mude e ele não me diga… com medo de me magoar, sei lá.
Não faço ideia do que vai na cabeça deste rapaz… Vejamos as cenas dos próximos capítulos.

20 de septiembre de 2010

E mais uma voltinha


Ontem recebi um telefonema preocupado da minha irmã e confesso que também fiquei, ao ver o sms que tinha no telemóvel. Tratava-se de uma mensagem de despedida de uma pessoa que foi muito importante na minha vida, mas com a qual já não mantenho contacto. Fiquei preocupada, como é normal, e resolvi responder. Como a pessoa em causa não dizia nada e entretanto, em conversa com um amigo comum, percebi que era grave, resolvi enviar outra mensagem a dizer que se precisasse me podia telefonar. Meu dito, meu feito, toca o telefone. Lá falámos quase meia hora para no fim ele me despachar depois de perguntar se estava tudo bem comigo e com a pessoa com quem eu estou e se me renovam o contrato de trabalho no estrangeiro. Pareceu-me estranho o despachar assim o telefonema mas por um lado se calhar ele percebeu que não há volta atrás e que o que passou, passou. Vejamos as cenas dos próximos capítulos porque eu acabei com um tímido: “Se precisares podes me telefonar”…

17 de septiembre de 2010

Ops, fiz asneira


Desta vez acho que escapa mas não percebi bem porquê, vejamos a situação. Durante as férias de uma colega, a minha chefe pediu para eu tratar de um assunto dela, que tinha ficado pendente. Tentei fazer pelo melhor e pela falta de conhecimento e pressão impostas acabei por meter o pezinho na poça e enviar um dado incorrecto. Agora a outra é que está a levar a bronca e eu daqui, do meu lugarzito a ouvir o que posso.
O que sei é que esta noite dormi um pouco mal, quizás por causa de este tema e inclusivamente acordei de um pesadelo onde tínhamos uma refeição de trabalho num centro comercial, tipo evento, e a comida estava cheia de baratas. Um nojo e um horror, de verdade!!! Acordei com a sensação de uff, ainda bem que acordei, afinal era um sonho, mas era tão real…
A chefe passou aqui e continua sem me dizer nada do tema. Vejamos as cenas dos próximos capítulos.

15 de septiembre de 2010

Curiosidades de gaja


Hoje apercebi-me que quando vou tomar o pequeno-almoço com o piqueno vou sempre à casa de banho primeiro, para ver como estou. Como me apercebi disto? Hoje que ele não está, só lá pus os pezinhos lá para o meio dia… hehe.

Sentir ou não sentir?


Começo bem, com o horóscopo do dia: “Das suas relações amorosas poderão advir profundas experiências emocionais, quer positivas quer negativas. Tenha cautela com os jogos de poder.”
Durante muitos anos estive numa relação e embora nem tudo fosse perfeito, sabia com o que podia contar. Separámo-nos e deixei de contar com ele.
Comecei agora numa nova relação e a verdade é que não sei ainda muito bem com o que posso contar e isso assusta-me. Assusta-me que me este a entregar mais que ele, assusta-me que não estejamos os dois na mesma direcção, sei lá. A verdade é que já não estava habituada e tenho medo de sofrer. Daí a pergunta de sentir ou não sentir?
Quero sentir e entregar o meu coração mas e se ele se parte? Poderei juntar os caquinhos e levantar-me outra vez? Acho que é uma pergunta que só saberei responder com o tempo e com a entrega.
Apaixonei-me, foi o que foi, e pensava que isso não fosse acontecer. Vejo-me a ter comportamentos algo psicóticos que não me caracterizam e espero sinceramente que não me reflictam. O problema é que ajo no impulso e depois arrependo-me. E, como ser pensante que sou, depois fico a cogitar horas, senão dias, sobre o assunto.
Conclusão: Tentarei ser menos racional no acto de entrega dos sentimentos e mais racional na hora de agir e de tomar atitudes algo estranhas e neuróticas. Fica a promessa, que espero sinceramente poder cumprir…

10 de agosto de 2010

Rascunho


A arrumar papéis encontrei isto escrito e decidi publicar, em vez de deitar directamente no lixo. Não tem data mas creio que já é antigo:
Acordo a pensar
Penso em ti, em mim, em nós dois
Atormenta-me esta incerteza
O não saber o que sou sem ti nem contigo
Medito e cogito sobre esta forma de estar
Será real o que apregoo ou a mente inteligente
Tenta apenas enganar o senhor de tudo,
O coração...

30 de junio de 2010

O acordo...


No outro dia fiz um acordo com um colega. Que tipo de acordo? Que não seriamos mais amigos coloridos. Porquê? Porque para além de ele ser meu colega é meu amigo e sempre que nos deixávamos levar pela luxúria eu ficava baralhada e a pensar demasiado no assunto. Incluso falava sozinha na rua.
As coisas não correram sempre bem e quizás era por isso que me punha a pensar. Pensava que se corressem super bem era pior, porque ia querer repetir e assim, como ficava a pensar no que correu mal já não repetia. Errado, o problema é que embora não seja perfeito eu não me importo de repetir.
Numa sociedade que tem de avaliar tudo ponho-me a pensar se isso é normal. O que é normal? Dormir com um amigo é normal? As minhas amigas não o devem achar porque uma pergunta-me como vai o romance e a outra faz apostas sobre quando começamos a namorar.
Do acordo que tínhamos, que entretanto foi quebrado, resta outro, o de que se algum começar a gostar do outro tem de avisar. Boa, eu gosto dele como amigo e como amante, mas não o quero como namorado. Porquê? Porque somos muito diferentes e agora que estou a escrever não me lembro de mais nada. Merda!, acho que mais cedo ou mais tarde vou ter de ter a tal conversa com ele.
Afinal era por isso que eu não queria quebrar o acordo, porque assim fica tudo mais difícil e eu fico mais baralhada. Será possível que eu goste dele mas não o queira para namorado?

15 de junio de 2010

Serão os homens de Ferro?


À conversa com um amigo, perguntei-lhe porquê que os homens não partilham os seus problemas. Ele respondeu que é porque são de ferro.
Não acredito que sejam de ferro mas a realidade é que eles guardam muito mais os seus problemas do que nós.
Este meu amigo tem problemas, eu sei que sim, e até acho que são capazes de ser graves, mas ele não fala deles a ninguém. Bem, se calhar fala com a mãe, mas fora isso não. O meu irmão era o mesmo caso. E o que eu não percebo é como é que eles conseguem não desabafar. É que se eles têm namorada é normal que lhe contem, até porque ela vai perceber que se passa algo. Agora se não têm vão guardando, como um poço sem fundo.
Eu também não sou de espalhar os meus problemas, a minha vida sim, essa conto a toda a gente, agora os problemas não.
Era bom é que eles percebessem que se calhar não fazia moça mostrarem-se vulneráveis e partilharem com quem se preocupa.

14 de junio de 2010

Razões para não voltar para o meu Ex


No outro dia, ao ver os últimos episódios da série How I met your mother, o Ted escreveu uma carta a lembrar-lhe porque não devia voltar para a Robin e aconselhou o Barney a fazer o mesmo.
Pois eu também vou escrever a minha carta “just in case”.

Motivos porque não deves voltar para o teu ex:
1) Porque deixei de gostar dele
2) Porque já não me atrai sexualmente
3) Porque ele tem problemas que não consegue resolver
4) Porque ele não assume que tem problemas
5) Porque já não confio nele
6) Porque as diferenças entre nós não vão desaparecer
7) Porque ele gosta de drogas
8) Porque ele é maníaco-depressivo
9) Porque ele não me alegra o dia
10) Porque sou pior pessoa quando estou com ele

11 de junio de 2010

Dear diary


Querido diário, que bonito é começar uma entrada assim.
Ontem foi o dia de Portugal e fui ouvir fadinhos. Tudo amador e com alguma desafinação misturada com a desculpa de uma constipação mal curada. O importante é que me diverti na companhia de outros Tuguinhas.
Além disso tive uma boa notícia. Uma pessoa que me é muito querida disse-me que acha que encontrou alguém especial e isso deixa-me muito feliz, pois ela merece.
Venham mais dias assim!!!

2 de junio de 2010

To say or not to say


Visto que isto são os meus diários devia escrever diariamente sobre o meu dia-a-dia e as minhas inquietações. Pois a de hoje é o que devo ou não devo dizer.
Tenho dois “professores” que me vão dando dicas. Não é que eu não aprecie o carinho e a atenção mas é que eu sou mesmo assim, amalucada e espontânea e julgo que é por isso que me acham graça.
Aqui ficam alguns dos tópicos sobre os quais não me devo pronunciar:

1) Não dizer aos rapazes que já não tomo a pílula

Vocês agora perguntam-se, mas porque raio vai esta rapariga dizer isto? Fácil, no turbilhão de ideias que passa na minha cabeça, que mais parece uma locomotiva a correr a toda a hora, se me perguntam se estou bem eu posso sair-me com esta: “Ah não, que hoje não tomei o comprimido. Antes tomava mas agora já não tomo nada.” E imagino que continuei para ser bem explícita: “Quando deixei de namorar deixei de tomar” E pan! Erro número um.

2) Não avisar que rio muito nem que rio muito alto

Sim, embora seja verdade e baste ir ao cinema comigo ver uma comédia para comprová-lo, não é algo que se deva espalhar. Quando acontecer dizer: “Ah, isto nunca me tinha acontecido antes.” e da segunda dizer a rir: “Isto está se a tornar um hábito.”

3) Evitar falar de mamas

Como por exemplo, não dizer que: “Como ao subir no elevador para casa, não tinha onde por a chave para abrir a porta, pu-la nas mamas.”

4) Não dizer a todo o mundo que tenho dores de barriga

Respondi a um mail com 14 pessoas como destinatários...

5) Não dizer os meus defeitos quando me apercebo deles

Guardar para mim porque eu sou perfeita e não tenho defeitos...

27 de mayo de 2010

Por vezes gostava de ter 100% certeza do que quero


Dou por mim a pensar que quero tudo e não quero nada. Que quero o tangível e o intangível, o real e o imaginário, a essência e o ser. Como me posso sentir realizada assim? Complicado, certo?!
Será esta a minha forma de ser para evitar a felicidade. A casca tornou-se tão rija assim? Entre as certezas e as incertezas que um dia são ferozes e violentas e no outro pura quimera, sinto-me perdida. Contente mas perdida, por ser quem sou e quem não sou. E por quem um dia serei. Um dia serei grande, serei plena e feliz. Com uma felicidade feita de sonhos reais e junto de mim e de ti.

26 de abril de 2010

Mania das listas


Tenho a mania de fazer listas por tudo e por nada. A mais recente ideia foi fazer uma lista dos alimentos que eu não gosto. Isto porque a ler um artigo sobre o restaurante El Buli, dizia que eles perguntavam aos clientes quais os alimentos que não gostavam. Vai daí a menina inspirar-se para mais uma listinha. Até aqui tudo bem, o problema é que a menina gosta de falar e decidiu partilhar esta informação com pessoas que acabara de conhecer. Devem ter achado que eu sou louca...
Pois já me disseram que há coisitas que posso muito bem guardar para mim, especialmente se estiver a falar com um rapaz.
Mas não pensem que ficam sem a lista dos alimentos. Ela aqui vai:
- Pimentos
- Aipo
- Cebola crua
- Queijo roquefort
- Cenoura cozida
- Picante
- Coentros
- ...

13 de abril de 2010

Lista da minha infância


No post de 21/10/2009, a Lista da Joanna, disse que se encontrasse a lista da minha infância a publicava aqui para comparar. Pois encontrei e aqui vai.
De 08/11/1998 (tinha eu 17 anos)
O meu género de rapaz (atenção, não era homem):
- Sensível
- Meigo
- Carinhoso
- Com bom coração
- Forte personalidade
- Atrevido
- Muito divertido / com sentido de humor
- Romântico
- Gentil
- Amoroso
- Com grande imaginação
E vão 11. Não sei se posso dizer que fiquei mais exigente porque vejo aqui algumas coisas que revejo na lista actual. Mas que sempre soube o que quero isso é uma certeza. Se se concretiza, isso já é outra coisa...

6 de abril de 2010

Alguém se lembra disto?


Lembram-se da Gripe A??? Aquele bicho feio e mau que andou por aí a matar toda a gente e a dar dinheiro às farmacêuticas??? Pois eu lembrei-me agora, que ainda há pouco tempo andava tudo assustado com esse bicharoco. Pois o inverno já passou e eu, como de costume passei por ele sem nenhuma gripe de maior e claro, sem a gripe A. É que realmente, assusta ver o poder que têm as farmacêuticas e os meios de comunicação, que assustaram tudo e todos. E agora, que o surto passou já nem se fala disso. Serviu isso sim, para que ficassem na moda os desinfectantes para as mãos. Eu tenho o meu e ainda o uso, mas não tanto como o usava no Inverno...

Razões para ter sexo...


Incitada por um amigo, depois de ler o blogue da Belota, aqui deixo a minha listinha dos motivos para ter sexo. É bem provável que haja acréscimos.

1) Porque sim
2) Porque faz bem e não engorda
3) Porque ele é giro
4) Porque me apetece
5) Porque estou com as hormonas aos saltos
6) Porque limpei a casa toda
7) Porque me sinto sexy
8) Porque posso
9) Porque o vibrador já cansa
10) Porque ele cheira bem
11) Porque não dá nada de jeito na tv
12) Porque estamos sem luz
13) Para passar bem o tempo
14) Porque estamos presos no elevador
15) Para experimentar coisas novas
16) Para cometer mais um pecado da lista
17) Porque amanhã ele vai embora
18) Porque é Primavera
19) Para me sentir bem
20) Para não esquecer como se faz
21) Porque ele me beijou o pescoço e sussurou ao ouvido
22) Porque me ofereceram sofás novos
23) Porque ele fica lindo de fato
24) Porque é só sexo

29 de marzo de 2010

Sossegadita…


Ultimamente ando a trocar boquinhas, com cariz assim mais pó maroto, com um amigo e já começo a arrepender-me. É que no outro dia sonhei com ele e ele estava a dar-me um beijo. Bem sei que foi só um sonho mas dizem que os sonhos são o nosso subconsciente a querer irromper das entranhas do nosso cérebro...
É que não quero mesmo que nada aconteça e por isso espero sinceramente que ele não tome nenhum passo nesse sentido. Vou tentar estar mais sossegadita e parar com as piadinhas.
Se quero que tudo corra bem acho que é o melhor, porque isto de ser amiga de gajos é realmente complicado.

Estarão os homens realmente seguros da sua sexualidade?


Já há muito que não escrevia e descobri o tema. Será que os homens estão totalmente seguros com a sua sexualidade?
Por vezes penso que não. Nunca podem ou devem ter certas atitudes pois pode ser questionada a sua virilidade. Pois eu tenho um amigo que não tem essas mariquices e que me disse uma frase no outro dia: “Eu estou totalmente resolvido sexualmente, não tenho dúvidas sobre a minha sexualidade” e está dito!
Acho que os gajos deviam ser mais seguros pois se assim fosse não havia tanta mariquice. Ah e tal, se experimentas sexo anal depois gostas e não queres outra coisa. Ora, a menos que o gajo já tivesse alguma vontade de experimentar, se não foi violado, experimentou porque sentia curiosidade. Logo é normal que goste.
Gajos, deixem-se de mariquices, façam-se Homens e sintam-se à vontade com a vossa escolha e a vossa sexualidade.

11 de marzo de 2010

A teoria do fato de banho


Aqui deixo mais uma teoria que cada vez mais penso ser boa. Acho que todos os casais, antes de iniciarem um namoro, deveriam estar obrigados a ver-se de fato de banho. Nada disso que devem fazer sexo antes de casar, porque isso já todos fazem. A nova moda devia ser esta!
É que há várias coisas que não podemos ver num homem antes de vê-lo de fato de banho. Deixo aqui algumas partes do corpo como exemplo. Com roupa não vemos os pés. Não sou como o Eddie Murphy no filme “Boomerang” (1992), mas gosto de ver os pés de um homem. Não é o mais importante, mas para mim conta. E desde esta terça-feira passada, descobri que é melhor ver também os mamilos dos gajos para não nos depararmos com uma surpresa... desagradável.

15 de febrero de 2010

Sinais


Um amigo disse-me que quando estamos interessadas num rapaz temos de dar sinais, senão ele não avança. Mas que sinais, pergunto eu?? Da forma que estão as coisas hoje em dia o que é considerado um sinal? Antes se lhe tocávamos ou abraçávamos podia ser considerado um sinal? Talvez, mas eu hoje em dia abraço quase todos os meus amigos em público. Que dizer, sou uma pessoal afável!!!
Será que unicamente quando estou com raparigas posso tentar uma aproximação e dar o tal sinal? É que se estou aos abraços aos amigos ele não vai achar graça se depois lhe faço um sinal, não?
Bem, esta vida de solteira não é fácil, sem dúvida...

27 de enero de 2010

Resoluções para este ano


Estive a pensar nas minhas resoluções e decidi que é este ano que me torno vegetariana e que fico efectiva.
Pois é, a primeira resolução só depende de mim e a segunda, embora não tanto, acho que também.
Para a primeira resolução estou a pensar inscrever-me num curso de iniciação à culinária vegetariana e depois é só praticar. O que vai ser complicado é quando comer fora, mas bem, pouco a pouco acho que vou conseguir. Raramente como carne vermelha e vou começar por ai. A partir de hoje no more carne vermelha.
Depois vem as carnes das aves e o peixe. Não serei extremista mas vou tentar a todo o custo.

Em relação ao trabalhinho estou a pensar deixar a empresa se não me põe efectiva. Claro que não tenho a certeza e até chegar o fim do ano muita coisa pode mudar mas começo a pensar seriamente nisso. Já estou quase há 5 anos numa empresa e não há maneira e já estou um pouco farta de nunca saber o dia de amanhã. Agora renovam 2 meses, depois renovam 3 quando me tinham dito que eram 12, depois renovam mais 9/12 ou manda-me embora?!?! Já chega, sei o que valho e se nesta empresa não me valorizam e aproveitam, há-de existir outro sítio onde o façam.
Faço uma pausa no work e vou estudar ou algo e depois logo se vê....
Também há que aproveitar enquanto não tenho encargos maiores como carro e casa para pagar. Tenho-me a mim e a um gatinho para alimentar e já está.

A ver se melhores tempos virão...

1 de diciembre de 2009

New Moon


Nunca mais tinha escrito para o meu blogue mas ontem fui ver um filme de adolescentes e fiquei a meditar. Sim, esse mesmo, o New Moon, da saga Crepúsculo. Houve partes do filme que inevitavelmente me levaram a rir, como o solícito Jacob que se desnuda para ajudar a sua querida Bella, ou as expressões do Edward, que parecia que estava com dores de barriga por ter comido algo estragado ao jantar. Mas enfim, deu para rir um pouco e comer as minhas queridas pipocas. Também acho muito bem que a Bella seja uma rapariga dita normal e que os querubins dos dois clãs se apaixonem por ela. Eu pelo menos vejo-a assim, nada de estereótipos exagerados nem mamas grandes, uma rapariga simples e diferente e que cativa por isso. Acho que essa é a única parte positiva neste filme, porque não dá às adolescentes uma meta intangível na busca da beleza. Quanto aos rapazes, acho mal terem feito um rapaz de 17 anos ter de ir tanto ao ginásio para ficar com aquele corpo, se calhar até andou a tomar coisas que não deve, mas lá que regala a vista, isso sim, regala!

2 de noviembre de 2009

You blew it


Pois é amiguitos, a minha candidatura foi rejeitada. Não fiquei triste, como aliás tinha previsto, além do que o site não funciona muito bem. Dizia que podíamos editar o perfil para incluir informação nossa, para não sermos apenas avaliados por uma foto. Isto até faz sentido mas no meu caso não consegui editar o perfil. Como tal recebi uma mensagem ontem a dizer que fui rejeitada. Para se quiser, editar a informação de perfil e tentar de novo. Olha que pena! Não vou tentar de novo amiguitos. Vocês tiveram a vossa oportunidade e desperdiçaram-na!

27 de octubre de 2009

http://www.BeautifulPeople.com


Descobri hoje que há uma rede social, do género do facebook, onde só podem participar pessoas bonitas. Dei por mim a pensar se seria eleita por esses indivíduos. Se entrasse era porque era considerada bonita e isso, de certa forma, deixar-me-ia satisfeita. Mas e se eles me rejeitassem? Ia sentir-me mal por isso? Não creio, mas a realidade é que se tal acontecesse, não me ia pôr a espalhar pelos quatro cantos que tinha sido rejeitada. É a lei da vida, quando nos rejeitam não tendemos a querer partilhar essa experiência. Mas e se fosse aceite? Conhecendo-me como conheço, creio que só iria dizer à minha irmã. Mas também, qual é o objectivo de participar nesta rede? Conhecer gente bonita? Bem, realmente é o que procuro nesta altura, alguém bonito, mas não só por fora, alguém que me faça subir o ego. Quizás divertir-me com a pessoa errada enquanto não encontro a certa. Aqui posso escrever o resultado deste quiz, assim que se resolver tentar a minha sorte, provavelmente ponho-o aqui. Wish me luck!

P.S. Acabo de me lembrar que curti com um rapaz super giro ao som da música Beautiful People. Será um sinal?

26 de octubre de 2009

Comentários à lista


Sei que quase ninguém lê este blog perdido na blogosfera, mas se por acaso alguém o encontrar e se perguntar, mas esta gaja é loca??!!?? Escolhe os homens por uma lista... Passo então a uma pequena explicação.
A lista não existe na realidade, assim como não existem príncipes encantados. Ela serve meramente para eu não me esquecer do que gosto e claro, consequentemente, do que não gosto. Agora perguntam vocês, mas há a possibilidade de ela se esquecer?? A resposta é SIM. Quando nos apaixonamos tendemos a perder a racionalidade, acho eu, e como eu me considero extremamente racional, decidi fazê-la. Não vá o diabo tecê-las, como se diz por aí, e eu embarque noutra relação sem futuro por termos os gostos e objectivos distintos.
Por falar nisso, ter bom gosto também é uma boa coisa para acrescentar à lista, e já vamos em 20.
Eu estou a fazer esta lista mas na realidade gostaria... gostaria não!... adoraria nunca a ter que consultar. Isso significaria que estou apaixonada e que o coração se sobrepôs à razão. Se fosse uma relação absurda eu, ciente de mim, faria uma de duas coisas, ou pediria a alguém que lesse a minha lista e me dissesse sinceramente se este era o tal, ou simplesmente apagava o post da lista!
Prefiro acreditar que faria a segunda, pois isso queria dizer que estava realmente apaixonada e tudo o mais não interessava. Um dia pode ser, um dia pode ser que a lista desapareça, mas por agora deixá-la-ei viver.

A lista da Joanna


Coisas que eu gosto: faróis e gatos.
Coisas que eu não gosto: demasiadas para enumerar.
Coisas que eu procuro num homem?! Decidi fazer uma lista como a que fiz há 10 anos atrás. Por enquanto vamos em 20 características.
Alto
Bonito
Simpático
Divertido
Decidido
Independente
Trabalhador
Apaixonado
Romântico
Limpo
Arrumado
Carinhoso
Amante de animais
Não goste de drogas
Iniciativo
Adulto
Ter um riso normal
Dentes bonitos
Pés bem feitos
Bom gosto

Nota: Não tem de ser necessariamente por esta ordem e não se aceitam candidatos que excluam três ou mais destas características. A lista pode sofrer alterações e não se aceitam reclamações.

P.S. Se encontrar a lista antiga ponho aqui para ver as diferenças.

21 de octubre de 2009

A verdadeira entidade


Dizem que as mulheres descobrem como são realmente os homens quando se casam com eles e eles descobrem como são as mulheres quando se separam delas. Pois eu sou mulher e descobri vários podres do meu namorado quando nos separámos uma vez. Ficou rancoroso e vingativo e torturava-me com longos telefonemas. Não sei porque atendia, pensava sempre que desta vez o assunto podia ser importante. Treta! O que aconteceu foi que voltámos e eu disse para mim mesma que nunca mais acabaria com ele, que se nos separássemos seria ele a acabar. É de facto uma coisa um pouco tonta mas foi muito mau.
Acho que desta vez consegui. Ele disse que se fosse para continuar assim era melhor não continuar e eu concordei. Ele não estava à espera, pensava que eu ia dizer que ia lutar pela relação mas não foi o que aconteceu. Acho que ele compreendeu e desta não me vai fazer passar um mau bocado, pelo menos assim espero. É muito triste separarmo-nos de uma pessoa e ainda por cima a impressão que fica é a última, a das últimas palavras trocadas e que foram desagradáveis e amargas. Gostaria de manter a amizade mas isso só vai depender dele. Se começar com os insultos gratuitos não atendo mais o telefone e acabou!
Vamos ver, pois só o tempo o dirá.

19 de octubre de 2009

Pontos nos is


Desde que cheguei, há cerca de um ano, que tenho pensado nas relações à distância. Um dia destes estive a conversar com um amigo de um amigo que me dizia que não acreditava em tal coisa, eu tentava defender-me e em minha ajuda veio outro rapaz a dizer que sim, que funcionavam quando tinham de funcionar. Pois a minha já não funciona. Não creio que seja só a distância pois os problemas já lá estavam. O que acontece é que eu deixei de me esforçar para que funcione e quando já não havia mais forma de escondê-lo eis que ele percebe e resolve por os pontos nos is. Que dizer? É algo que já esperava e que não tentarei modificar. Já estou cansada de pensar que talvez ele mude ou talvez eu mude.
No outro dia dei por mim a pensar que de todos os namorados que tive não houve nenhum que eu realmente achasse giro. WTF, isto não é normal, certo?
Está na altura de voltar a fazer o que quero e neste momento quero estar só, ou pelo menos, não quero estar com a pessoa a quem deveria chamar de namorado.

8 de octubre de 2009

Histórias da Maria


Como definir uma pessoa assim… segura e decidida mas ao mesmo tempo frágil e melancólica. Por vezes sabe o que quer e por outras anda perdida e absorta nos seus próprios pensamentos. A personagem de quem vos falo é a Maria e estas próximas linhas, e quizás próximas entradas no blog, serão para falar da Maria. Diz o que pensa e por vezes é demasiado crítica. É amalucada e graciosa, assim é a nossa Maria.

Ele convida-a a subir ao quarto, afinal tem de trocar de roupa antes de irem jantar. Ela com o coração aos saltos diz que prefere esperar em baixo. Ele insiste. Ela nervosa acede e sobe com ele no elevador. Algo tensa pensa que tem o namorado em casa à sua espera. Ele abre a porta do quarto e convida-a a entrar. Momentos depois a porta do quarto fecha-se. Ela tenta disfarçar o desconforto que sente enquanto ele troca de camisa. De costas para ele sabe que já não depende de si. Agora está tudo nas mãos dele, porque sabe que a um avance seguro e meloso não vai conseguir resistir. São as leis da atracção e neste caso são impossíveis combater. A cama daquele quarto pode estar prestes a ser usada, mas para isso há que haver uma ligeira sedução. Não que ela não esteja já totalmente seduzida e enfeitiçada por aquele homem, mas se ele não tomar a iniciativa ela sabe que poderá combater o desejo. Nem tudo está perdido. A camisa já foi trocada e os lençóis continuam intactos. Saem juntos do quarto e ela esboça um sorriso. No fundo está contente porque não foi posta à prova num exame ao qual sabia seguramente que ia reprovar.

7 de septiembre de 2009

Passaporte chiquérrimo


Agora decidi que enquanto cidadã portuguesa, e para fazer render o dinheirão que se paga pelo passaporte, o vou utilizar nas minhas constantes viagens. Mesmo assim nunca o tinha utilizado nos guichés automáticos e foi na Madeira que o fiz pela primeira vez. Como aquela porcaria não funcionava um senhor muito solícito veio ajudar-me e perguntou se era a primeira vez. Eu disse que sim e ele disse que se notava. Não gostei do tom mas prefiro acreditar que foi pelo incrível aspecto que tem o meu passaporte, feito em Janeiro deste ano. É como a detentora, quem o vê, não lhe dá a idade que tem.